O que é uma microempresa e como gerenciá-la com eficiência?

Representando a maior parte dos empreendimentos no Brasil, a microempresa trata-se de uma empresa individual ou pessoa jurídica com valor bruto anual de R$360.000, sendo uma média de faturamento mensal de R$30.000. Em razão disso, recebe benefícios referentes à redução da tributação.

O Simples Nacional é o regime tributário das microempresas que, por meio de uma única guia, realiza o recolhimento dos tributos de forma simples e prática. Sendo assim, para quem opta por efetuar o pagamento dos impostos por esse modelo podem contar com percentuais de alíquota constantes.

Contudo, é bastante comum encontrar empreendedores que tenham algum tipo de dúvida sobre esse assunto. Por esse motivo, preparamos este artigo com o objetivo de explicar para você quais são os benefícios de investir em uma microempresa, além de esclarecer o que é a Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Acompanhe a leitura!

Quais os benefícios de investir em uma microempresa?

Ao desejar investir no próprio negócio é fundamental pensar em qual modalidade vai oferecer mais vantagens para o seu empreendimento, pois esse fator pode facilitar ou complicar o funcionamento da sua empresa. Além de afetar o setor financeiro, uma vez que o formato escolhido vai definir o valor que será tributado.

Por isso, ao optar pela modalidade de microempresa (ME) você terá benefícios, como:

  • redução da burocracia: com o objetivo de facilitar a regularização, o Simples Nacional permite o pagamento dos tributos por meio de uma única guia, tornando o processo mais simples e prático, ao mesmo tempo em que proporciona mais economia;
  • mais vantagem competitiva: ao participar das licitações, o microempreendedor será colocado em pé de igualdade com as grandes empresas. Por isso, além de participar do certame, poderá oferecer propostas de 5% a 10% mais caras comparado às demais empresas;
  • agilidade para tomar decisões: devido ao tamanho da empresa, o microempreendedor tem uma melhor visibilidade do que acontece no interior do seu negócio, facilitando a identificação de falhas e a criação de estratégias mais eficientes.

O que é a Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte?

Criada pela Lei Complementar Federal 123/2006, a Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte tem o objetivo de regulamentar, conforme disposto na Constituição Federal, o tratamento favorecido, simplificado e diferenciado para essas modalidades.

Ou seja, sua função é promover o desenvolvimento e a competitividade da microempresa, empresa de pequeno porte e do empreendedor individual. Isso acontece por meio de estratégias que reduzem a burocracia, fortalecem a economia, geram mais empregos, permitem a inclusão social e realizam a distribuição de renda.

Sendo assim, a Lei Complementar 123/2006 oferece os seguintes benefícios:

  • com entrada única de dados e documentos, o processo de registro e legalização ocorre de maneira simples e prática, integrando todos os órgãos envolvidos por meio de um sistema informatizado;
  • oferece tratamento diferenciado em licitações públicas, permitindo que tanto as microempresas quanto as empresas de pequeno porte, tenham vantagem na competição;
  • prioriza a regularização do negócio por meio de uma abordagem educativa durante a fiscalização trabalhista, sanitária etc;
  • toda nova obrigação que atingir os pequenos empreendimentos deverá especificar, no instrumento que a instituiu, o tratamento diferenciado, sob pena de não ser aplicada;
  • permite que todas as atividades econômicas possam aderir ao Simples Nacional;
  • oferece acesso exclusivo a linhas de crédito junto a bancos públicos, com tratamento e condições mais vantajosas;
  • as microempresas e empresas de pequeno porte que optarem pelo Simples Nacional terão benefícios na execução de atividades de exportação de bens e serviços.

Como garantir uma gestão mais eficiente?

Independentemente do tamanho ou segmento, toda empresa que deseja crescer e se consolidar no mercado precisa desenvolver um plano de gestão eficiente. Para isso, é de suma importância estar atento a fatores internos e externos do negócio, a fim de identificar falhas e promover melhorias.

Sendo assim, fazer uso das melhores práticas e ferramentas disponíveis no mercado é fundamental para potencializar a gestão da sua microempresa. Por isso, listamos a seguir dicas de gestão para você aplicar no seu negócio. Confira!

Estabelecer metas e objetivos

O primeiro passo é se planejar. O planejamento é uma etapa importante para quem deseja crescer no mercado de atuação. Sendo assim, estabeleça metas de curto, médio e longo prazo, defina quais são os objetivos, a missão e visão da sua empresa.

Controlar o fluxo de caixa

Manter o controle das finanças da empresa é fundamental para garantir o seu crescimento, uma vez que sem os lucros ela dificilmente permanecerá no mercado. Por esse motivo, o controle do fluxo de caixa deve ser bem executado para evitar cálculos errados e possíveis prejuízos.

Por isso, anote diariamente as entradas e saídas, monitore as despesas da empresa e, se possível, corte gastos desnecessários. Também, crie um calendário com as datas de todas as contas a pagar, a fim de evitar atrasos e prejudicar o andamento das demais tarefas.

Monitorar o desempenho dos funcionários

Sem dúvidas, os funcionários são a base de qualquer empreendimento. Por isso, investir em mão de obra qualificada é uma maneira de garantir os bons resultados da empresa. Sendo assim, oferecer treinamentos de capacitação é muito importante para promover a motivação e eficiência da sua equipe, resultando na entrega de produtos ou serviços de qualidade.

Além de servir como diferencial competitivo, investir em treinamentos e workshops é uma ótima maneira de reduzir custos e diminuir a rotatividade de funcionários. Contudo, para garantir a total eficiência é muito importante que o gestor monitore o desempenho da sua equipe, a fim de promover melhorias na prestação de serviços.

Controlar os gastos

Aliado ao controle do fluxo de caixa está o controle dos gastos. Sabemos que o orçamento empresarial é um fator importante para o desenvolvimento da empresa. Por isso, o gestor deve priorizar as despesas que são fundamentais para garantir o bom funcionamento do seu negócio.

Portanto, com base nessas informações fica claro que investir em uma microempresa pode ser bastante lucrativo, desde que sejam cumpridas as obrigações e adotadas as boas práticas de gestão. Além disso, para facilitar ainda mais a administração, contar com o uso da tecnologia é uma forma bastante eficiente e segura de administrar o seu negócio.

Gostou do artigo e quer saber mais? Então, assine agora mesmo nossa newsletter e fique por dentro de mais novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não quer perder nada?
Então faça o seu cadastro!

Prometemos não enviar spam!