Entenda a importância de como montar um plano de carreira em sua PME

Reter talentos e aproveitar por completo o potencial dos colaboradores são dois motivos que justificam a montagem de um plano de carreira. A motivação é peça-chave para os funcionários apresentarem um desempenho acima da média e contribuírem para o crescimento sustentável do negócio.

Uma empresa deve criar regras que reconheçam a evolução do colaborador e valorizem os resultados obtidos. Caso essa postura não for adotada, é elevado o risco de acomodação da equipe, que é um dos piores cenários existentes no mundo corporativo.

Neste post, destacaremos iniciativas vitais para montar um planejamento que contribua para os empregados estarem mais engajados com a marca. Confira!

Analise o interesse da empresa e dos funcionários

Para atingir objetivos, é válido alinhar os interesses das partes envolvidas. Em outras palavras, as regras devem favorecer a todos para manter a produtividade em um elevado patamar. O ideal é avaliar as perspectivas de futuro dos profissionais e pensar como isso pode ser contemplado.

Por exemplo, um funcionário que atingiu metas e tem mais de 10 anos de casa pode receber uma bonificação semestral. Se esse benefício apresentar um valor interessante para o empregado e viável para o negócio, todos serão beneficiados com essa atividade. No entanto, por mais que os colaboradores mereçam, é um equívoco oferecer algo que comprometa seriamente a saúde financeira do seu negócio.

Crie metas

Um plano de carreira precisa de metas para impulsionar o rendimento da equipe. Logo, é necessário estabelecer parâmetros de desempenho que possam ser atingidos. Se optar por objetivos praticamente inviáveis de serem concretizados, desmotivará o time. Assim, a ação feita para melhorar a performance terá o efeito contrário, o que é muito ruim na conjuntura atual.

O indicado é que as metas sejam debatidas entre os gestores e funcionários. Também é válido que elas tenham um prazo definido em conjunto por todos os envolvidos. Esse diálogo é um diferencial que não pode ser ignorado.

Os gestores devem acompanhar de perto o andamento das atividades, para verificar se os objetivos serão cumpridos no tempo previsto. Essa participação é essencial para orientar os colaboradores e ajudá-los a vencer as dificuldades em atingir um desempenho exemplar.

Realize avaliações periódicas

É comum em negócios, mesmo que não estejam há muito tempo no mercado, ter profissionais de gerações diferentes. Esse contexto faz com que haja uma preocupação em elaborar um plano de carreira que apresente pontos positivos a todos. Para isso ser efetivado, promova avaliações periódicas por meio de pesquisas de satisfação. Nessa iniciativa, ofereça um espaço para sugestões, elogios e críticas dos funcionários.

Com essas informações sendo devidamente analisadas pelo setor de Recursos Humanos, diretores e gestores conseguirão traçar um quadro das expectativas dos empregados. Com base nisso, podem ser feitas alterações para oferecer vantagens mais interessantes.

O foco na melhoria contínua também deve fazer parte do planejamento para motivar a equipe. Se essa postura não for adotada, a concorrência usará mecanismos mais eficientes, explorando o potencial dos colaboradores e conquistando mais credibilidade no mercado.

Aposte no poder do feedback

As avaliações submetidas aos funcionários contribuem para a evolução deles em suas funções. Para o colaborador ter uma visão mais ampla sobre o desempenho alcançado, é imprescindível que haja um feedback dos gestores.

Essa iniciativa deve ser feita com serenidade e bastante calma. Nem todos os funcionários reagem com maturidade quando algumas limitações são apontadas. É comum que alguns fiquem na defensiva e busquem justificar o rendimento abaixo do esperado.

Por isso, o gestor precisa estar muito preparado para dar o retorno correto e orientar o empregado sobre como superar as dificuldades. Caso isso seja feito com tranquilidade, o líder conquistará a confiança da equipe e terá mais condições de engajar os profissionais e convencê-los a agir dentro das características empresariais.

Invista na qualificação

Oferecer oportunidades para um funcionário se qualificar é uma iniciativa excelente de crescimento e valorização dos talentos. Imagine que o gestor estipula uma gratificação aos empregados que fizerem uma pós-graduação na área em que atuam, mas não dão nenhum incentivo monetário para o colaborador fazer esse curso.

Eles terão que arcar com as mensalidades por conta própria. No entanto, se houver um apoio financeiro, ou parcerias com instituições de ensino superior e técnico para fazer a capacitação com desconto, o funcionário ficará mais motivado para investir no aperfeiçoamento profissional.

Esse aspecto mostra como um programa de treinamentos pode ser útil para envolver a equipe e gerar mais qualidade nos serviços oferecidos aos clientes. Essa medida faz com que o investimento nas capacitações seja recuperado, em muitos casos, e proporcione um aumento nos lucros.

O recomendado é que os funcionários tenham um acompanhamento individual do RH, verificando quais são os treinamentos ideais para melhorar a produção. Além disso, é importante que haja uma avaliação de como as capacitações contribuíram para aperfeiçoar os serviços.

Estabeleça as progressões

Um plano de carreira, elaborado dentro das melhores práticas, necessita ter critérios claros relativos à progressão vertical ou horizontal. Além do tempo de serviço, da pontualidade e da assiduidade, é bom considerar o comportamento e os resultados proporcionados pelo colaborador.

Esses aspectos devem ser decisivos para promover ou não um funcionário. Outra sugestão é fixar um tempo para essas progressões serem efetivadas. Por exemplo, um colaborador apenas pode crescer de posição com cinco anos de empresa.

Entenda como implementar

A comunicação é a melhor ferramenta para informar os empregados sobre como o plano vai ser executado. Também é fundamental abrir um espaço para sugestões relativas às práticas, para envolver os colaboradores com as diretrizes do seu negócio.

É relevante fazer reuniões com os funcionários para explicar como os critérios para promoção serão executados. Essa postura cria um ambiente mais favorável para o planejamento ser aceito e compreendido pela maioria da equipe.

Um plano de carreira deixou de ser um diferencial e passou a ser uma obrigação para as empresas que desejam se manter competitivas no mercado. Se não houver práticas para valorizar os funcionários, fica muito difícil manter o foco na melhoria contínua.

Se você quer mais informações sobre como melhorar o desempenho do seu negócio, curta a nossa página no Facebook. O conhecimento é peça-chave para inovar e evoluir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não quer perder nada?
Então faça o seu cadastro!

Prometemos não enviar spam!