Plano de saúde empresarial: entenda como funciona

A saúde é tida por muitos como o maior bem que um indivíduo pode ter. Quando estamos saudáveis, podemos enfrentar todos os obstáculos do dia a dia e lidar com nossos problemas da melhor forma possível. Por isso, investir em um plano de saúde empresarial é um dos fatores fundamentais para qualquer negócio.

Muito além de um simples luxo ou gasto supérfluo, os planos de saúde são a garantia de que o empregador se preocupa com seus funcionários e busca oferecer a eles a melhor qualidade de vida — e de trabalho, é claro — possível. Além disso, a preocupação com a saúde do trabalhador ajuda na valorização das vagas de sua empresa.

Um exemplo claro da importância da assistência médica de qualidade em empregos pode ser visto em uma pesquisa realizada pela empresa Catho, no ano de 2014. De acordo com os dados coletados, mais de 70% dos funcionários veem o plano de saúde empresarial como fator decisivo na escolha de uma vaga, além de vê-lo como o benefício mais importante.

Mas, afinal, como funcionam os planos de saúde corporativos? Qual é a sua relevância para funcionários e empreendedores? Como podemos escolher a melhor opção para todos os envolvidos sem cometer erros? Confira a resposta para essas e outras perguntas a seguir. Boa leitura!

O que é um plano de saúde empresarial?

Embora conte com uma estrutura visionária, que serve como inspiração para diversas outras nações, infelizmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) não é suficiente para atender a todas as demandas da população brasileira. As filas para consultas e exames são bastante longas e a espera pode chegar a vários meses.

Dito isso, é fato que a saúde não pode e não deve esperar. Todos os brasileiros têm direito a um atendimento médico de qualidade, com profissionais qualificados e uma ótima infraestrutura, que possibilite que as suas necessidades sejam acolhidas.

Afinal de contas, a precariedade no estado geral de saúde e as más condições em hospitais e clínicas são responsáveis pela queda de produtividade no setor trabalhista e por diversos problemas no âmbito pessoal dos funcionários.

Somado a isso, podemos citar os elevados custos de planos de saúde individuais, que são inacessíveis para grande parcela da população. É aí que entram os planos de saúde empresariais, oferecidos para profissionais atrelados a uma determinada empresa ou instituição.

Além de acolher os trabalhadores, o plano empresarial acolhe seus dependentes e outros indivíduos, como funcionários temporários, estagiários, menores aprendizes e até mesmo aposentados. Isso, é claro, dependerá do contrato estipulado em cada caso.

O benefício é estendido até o momento em que o funcionário continua com a empresa. Após seu desligamento, há também a quebra de fornecimento dos serviços do convênio ao indivíduo. De acordo com a Lei 9.656/98, a pessoa pode manter o serviço apenas se arcar com os gastos referentes ao valor integral do plano de saúde empresarial.

Qual a importância do plano de saúde corporativo?

Como já foi mencionado em nossa conversa, a inclusão dos planos de saúde corporativos em uma empresa pode ser bastante relevante não só para funcionários, como também para os empregadores responsáveis pelo negócio. Confira algumas das principais vantagens e benefícios:

Ajuda o empreendedor a pagar menos impostos

Os impostos fazem parte do dia a dia da gestão de pequenas, médias e grandes empresas. Diversas taxas são cobradas e não há como fugir delas. No entanto, é possível utilizar os incentivos fiscais para reduzi-las.

Um dos principais exemplos é o Imposto de Renda, que possibilita que ambas as partes (tanto o funcionário quanto o empregador) utilizem esse benefício em suas declarações, fazendo o desconto direto e beneficiando todos os envolvidos.

Funciona como ferramenta de valorização da equipe

Independentemente do tamanho de sua empresa, é vital pensar em métodos práticos e funcionais para mantê-la sempre em alta no mercado. Por isso, diferenciais como o investimento em planos de saúde empresariais funcionam muito bem nesse contexto.

A principal razão para isso é simples: ao contratar convênios voltados para sua equipe, você estará demonstrando que se preocupa com a clientela e também com os funcionários que lidam diretamente com seu público alvo.

Atitudes como essa são sempre muito bem-vistas entre os próprios trabalhadores e os clientes, que se sentem cada vez mais bem cuidados com o bom atendimento que é fornecido a eles, devido à equipe de vendas motivada e respeitada pelo empregador.

Ao mesmo tempo, empresas que evitam se comprometer com os cuidados oferecidos aos próprios trabalhadores ficam malvistas, sendo evitadas pela classe trabalhadora e pela potencial clientela, que não vê esse descaso com bons olhos. Essa imagem negativa é péssima para os negócios e pode trazer grandes prejuízos em longo prazo.

Reduz as taxas de absenteísmo

Seguindo a linha de pensamento iniciada no tópico anterior, podemos elaborar um paralelo entre a melhoria da saúde de cada funcionário (já que eles contarão com um acesso facilitado a atendimento médico de qualidade) e a considerável redução das taxas de absenteísmo nas empresas.

Esse termo diz respeito ao padrão de ausências em situações de dever e obrigação, como o trabalho ou a escola. Muitas empresas, principalmente as menores, lidam diariamente com esse problema, o que interfere diretamente na produtividade geral do negócio.

Com a construção de um ambiente de trabalho muito mais acolhedor, o trabalhador tende a sentir mais prazer em ir para o serviço, pois se sente valorizado e seguro. Além disso, o funcionário passa a cuidar melhor de sua saúde com a utilização da medicina preventiva, o que reduz as faltas por motivos de doença.

Por fim, podemos citar também a redução de dias de folga tirados para acompanhar parentes ou entes queridos em consultas. Com o acesso fácil à saúde, é possível conciliar as consultas com os horários comerciais, evitando a perda de dias de serviço.

Auxilia no aumento da produtividade no trabalho

O sonho de qualquer empreendedor é estar à frente de um negócio em constante crescimento, que agrade à clientela e crie um nome sólido no mercado. Para que isso aconteça, a participação dos funcionários é essencial. Afinal de contas, eles são a força de trabalho utilizada para produzir os serviços oferecidos ao público, não é mesmo?

Portanto, além de treinar a equipe, cuidar da saúde física e psicológica dos trabalhadores é a melhor maneira de conquistar um saldo positivo de produtividade em seu negócio. Não por acaso, as preocupações do dia a dia tendem a se acumular e o estresse é um dos grandes inimigos da produtividade e da qualidade de vida no trabalho.

Em longo prazo, funcionários infelizes ou preocupados com a saúde (seja a sua própria, seja a de entes queridos) produzirão menos e pior. Isso é negativo para o próprio trabalhador e para a empresa, que perde funcionários já treinados e deixa de lucrar tanto quanto deveria.

Os planos de saúde empresariais ajudam nesse contexto, fornecendo um atendimento médico bom e rápido, o que deixa os funcionários mais tranquilos para que possam trabalhar melhor. Sem dúvida, pessoas em boas condições de saúde têm mais energia e trabalham com muito mais vigor.

Serve como incentivo a pequenas empresas

Quando falamos em planos de saúde empresariais, normalmente, visualizamos empresas de grande porte aderindo a esse tipo de serviço, certo? No entanto, essa prática pode ser tão ou mais interessante para os pequenos e médios negócios.

Empreendimentos de menor porte, com um número reduzido de funcionários, também podem se beneficiar do uso dos convênios corporativos. Como o ambiente de trabalho nesses casos tende a ser ainda mais íntimo e pessoal, a satisfação dos trabalhadores é crucial para o crescimento e desenvolvimento dos negócios.

Embora pareça financeiramente inviável, ainda mais no começo, esse é um belo investimento em longo prazo se o objetivo é que o negócio desenvolva seu nome de forma saudável e firme em seu mercado de atuação. O retorno financeiro é garantido por meio do empenho de toda a equipe.

Além disso, o fato de contar com poucos funcionários traz diversos descontos e torna os preços ainda mais atraentes para os microempreendedores. Por isso, é recomendado conversar com as operadoras e pesquisar bastante para fechar um negócio favorável a todas as partes.

Quais coberturas são geralmente oferecidas em um plano de saúde corporativo?

Cobertura é o nome dado ao conjunto de procedimentos que são contemplados em um plano de saúde sem o acréscimo de valores ou pagamentos adicionais. Planos diferentes abordam coberturas diferentes, que podem incluir:

  • consultas;
  • exames;
  • internações;
  • cirurgias;
  • tratamentos (quimioterapia, hemodiálise etc.);
  • partos.

A lista de procedimentos obrigatórios é regulamentada pela ANS (Agência Nacional de Saúde). O seu nome oficial é Rol de Procedimentos e Eventos e Saúde e ele pode ser conferido no site oficial da agência, que permite que consultas sejam feitas gratuitamente.

No entanto, é possível ter uma ideia de quais procedimentos serão cobertos pelo plano, de acordo com o tipo escolhido. Os principais tipos de plano de saúde empresarial, por sua vez, são:

Plano de referência

É o convênio mais completo e fornece serviços como consultas padrão, exames (de laboratório e de imagem), tratamentos variados, internações hospitalares, cirurgias e atendimento obstétrico. Além disso, permite os atendimentos de emergência.

Plano ambulatorial

Consiste em uma versão um pouco mais compacta do plano de referência, e aborda consultas em clínicas e outros estabelecimentos da área médica. Ademais, possibilita internações que durem até 12 horas e alguns tratamentos, como a quimioterapia.

Plano hospitalar

Fornece atendimento hospitalar completo, com direito a internação (sem limite de tempo estipulado por lei), cirurgias e outros procedimentos cabíveis dentro do ambiente do hospital.

Plano hospitalar obstétrico

Funciona da mesma maneira que o plano hospitalar, com a diferença de contar também com todo o atendimento especializado na área de obstetrícia. Isso inclui o pré-natal, parto e pós-parto, além de cuidados de qualidade para o recém-nascido por até um mês após o nascimento.

Plano odontológico

Esse plano é normalmente feito à parte e envolve todos os cuidados odontológicos, que vão desde o atendimento padrão em consultório (com cobertura para a odontologia preventiva), emergências, exames e procedimentos cirúrgicos.

Como funciona o plano de saúde empresarial?

Como o próprio nome já indica, os planos de saúde empresariais são aqueles contratados por pessoas jurídicas (empreendedores, sindicatos ou associações) para fornecer saúde de qualidade aos funcionários e colaboradores de uma determinada empresa.

Os convênios podem oferecer serviços de atenção médica (que vão desde consultas periódicas a emergências, tratamentos e cirurgias) e odontológicas (que são, na maior parte das vezes, cobrados à parte em um plano separado).

A maioria dos planos e empresas possibilita a inclusão de dependentes dos funcionários que utilizam esses serviços. Isso garante que o tratamento médico seja estendido também aos familiares próximos, pessoas que dependem diretamente daquele indivíduo.

São contempladas as pessoas que têm grau de parentesco até o 3º grau com o titular do plano. Além disso, companheiros (ou cônjuges) e familiares por afinidade também podem fazer parte do convênio em alguns casos.

Os valores do plano de saúde empresarial são extremamente menores para os funcionários, que, muitas vezes, não conseguem arcar sozinhos com um plano individual. Para eles, é repassada uma taxa, normalmente descontada na folha de pagamento, que se refere a uma parcela do valor total do convênio.

No que diz respeito à carência (período de espera entre a contratação do plano e a permissão para utilizar determinados serviços cobertos por ele), há variações de acordo com os contratos e as operadoras. De modo geral, a recomendação é prestar uma atenção extra no contrato e verificar qual é o tempo de espera para cada um dos procedimentos.

No caso de partos, a carência padrão costuma ser de 300 dias. Esse período, no entanto, diz respeito ao tempo máximo e pode variar de acordo com a operadora em questão. Esse número de dias também engloba os exames pré-natais.

Além disso, é de suma importância salientar que partos emergenciais ou situações que envolvam risco para a vida da mãe e do bebê não estão inclusos e devem ser atendidos independentemente do tempo decorrido após a contratação do plano. Para eles, a carência é de apenas um dia (24 horas) após assinado o contrato.

Como escolher um bom plano de saúde empresarial?

Agora que você já sabe o que são os planos de saúde empresariais, conhece suas principais vantagens e sabe exatamente como funcionam, fica a dúvida: como escolher o melhor plano para minha empresa e meus funcionários?

Antes de mais nada, é importante saber que a própria Agência Nacional de Saúde (ANS), órgão responsável pela fiscalização e regularização de todos os planos de saúde existentes, possibilita a consulta do índice de reclamações e satisfação das operadoras de convênios.

A instituição utiliza como métrica o Índice de Desenvolvimento em Saúde Suplementar (IDSS). Esse sistema, que leva em consideração fatores como a qualidade em atendimento, garantia de acesso da rede credenciada, gestão de processos e outros, é responsável pela pontuação final de cada operadora no ranking.

No entanto, outros aspectos podem ser considerados na hora da decisão de qual plano utilizar em sua empresa. Pensando nisso, preparamos uma série de dicas infalíveis que garantirão o sucesso de sua escolha e a tornarão muito mais simples. Confira:

Fique atento ao contrato

O primeiro passo para uma contratação bem-sucedida é, sem dúvidas, ler o contrato com a devida atenção. Tendo isso em vista, solicite uma cópia de todas as suas opções e confira-as minuciosamente, verificando toda a cobertura e vendo se essa é a melhor alternativa para a sua equipe.

Dispense uma atenção extra na verificação de pontos como os reajustes (especialmente, aqueles destinados às faixas etárias), a presença de sinistralidade e outras taxas e complicações possíveis. É importante que o contrato seja claro e objetivo, deixando todas as informações disponíveis.

Anote as suas principais dúvidas e converse com a operadora para resolvê-las antes de fechar negócio. Assim, é possível descobrir exatamente quais são os seus direitos e deveres como consumidor e como esse plano beneficiará a sua empresa.

Verifique se há cobrança da sinistralidade

A sinistralidade foi mencionada em nosso tópico anterior, mas você sabe exatamente do que ela se trata? Esse conceito se refere a um cálculo de taxas adicionais que são cobradas a partir do nível de periculosidade de uma determinada função.

Em outras palavras, podemos dizer que, quanto mais perigoso for um trabalho ou atividade exercida, maior será a sinistralidade e, consequentemente, o valor cobrado por ela. Isso acontece porque os planos de saúde percebem uma maior chance de aquele funcionário vir a utilizar os serviços médicos em casos emergenciais.

Por isso, uma boa maneira de focar a redução de custos nesses casos é ficar atento se essa taxa será cobrada em algum momento, já que nem sempre ela é repassada no início no contrato. Questione a sua existência e fique sabendo se ela será cobrada mais à frente, com os reajustes periódicos.

Conheça os seus funcionários

Para escolher o melhor plano de saúde empresarial, é de suma importância que o gestor conheça bem os seus funcionários. Afinal de contas, suas características devem ser levadas em conta para que suas demandas sejam atendidas de forma eficaz pelo convênio.

Com o auxílio de pesquisas internas, questionários e informações do RH, é possível traçar um perfil médio dos funcionários e optar por um plano adequado a ele. Isso garantirá que não haja insatisfação por parte da equipe, o que pode prejudicar seus negócios em curto e longo prazo.

Para evitar esse cenário, faça um levantamento sobre a faixa etária média (lembre-se de que, quanto maior a idade dos funcionários, maior será a mensalidade cobrada), sexo, localização da residência, existência de doenças crônicas, riscos existentes no trabalho, entre outros fatores importantes.

Priorize redes referenciadas abrangentes

A rede referenciada nada mais é, na prática, do que a denominação dada ao conjunto de estabelecimentos (hospitais, clínicas e ambulatórios, por exemplo) que o convênio fornece para atender os seus clientes.

Ao escolher um plano de saúde, é importante sempre ficar atento às redes referenciadas. Fatores como a qualidade dos estabelecimentos credenciados e a localização deles devem ser levados em consideração na hora da decisão.

Por esse motivo, priorize planos que forneçam qualidade na mobilidade para os seus funcionários, com clínicas e hospitais bem localizados e próximos do local de trabalho e da residência da maioria da equipe.

Escolha um plano favorável para homens e mulheres

Atualmente, a nossa sociedade entrou em uma nova e empolgante fase: a da igualdade de gêneros. Em razão disso, é impossível mencionar um bom tratamento aos funcionários sem levar em consideração as características e necessidades únicas de homens e mulheres.

A saúde de cada um dos gêneros envolve particularidades e diferenças, que devem sempre ser levadas em consideração em qualquer escolha. Isso demonstra um respeito extra pelos funcionários, em especial, às mulheres, que, por tanto tempo, foram deixadas de lado nas decisões tomadas pelos gestores.

Por isso, pesquise planos que percebam bem as diferenças biológicas de cada grupo e ofereçam suporte às mais diversas demandas. Priorize operadoras que contem com uma boa rede de serviços obstétricos, ginecológicos e urológicos, sempre focados na prevenção de doenças para ambos os sexos.

Confira a reputação da operadora no mercado

Você provavelmente percebeu que mencionamos a importância da consolidação do nome de uma empresa no mercado durante a nossa conversa, não é mesmo? Por esse motivo, nossa última dica diz respeito a conferir a reputação da operadora de planos de saúde.

Em busca da melhor escolha possível para a empresa e seus funcionários, é essencial que a operadora escolhida tenha um histórico que combine com as expectativas que você tem para o seu próprio negócio.

O recomendado é que o usuário utilize a internet para pesquisar referências e resenhas de pessoas que já utilizaram aquele serviço. A ANS, inclusive, disponibiliza um ranking de insatisfação para que todos os usuários possam conferir as notas com transparência.

Como podemos perceber, investir em um plano de saúde empresarial é um belo diferencial para qualquer negócio, mostrando que o gestor está preocupado com o bem-estar de seus funcionários e garantindo muito mais qualidade de vida e produtividade no ambiente de trabalho!

Gostou deste conteúdo? Então, não perca nenhuma de nossas próximas publicações! Basta assinar a newsletter e passar a receber todas as novidades diretamente em seu e-mail com alguns poucos cliques.

4 comentários em “Plano de saúde empresarial: entenda como funciona”

  1. Sayure David disse:

    Excelente conteúdo! Gostaria também de te convidar a visitar também meu Blog, tem muita dica bacana lá, acredito que irá gostar muito. Sucesso!!

  2. Que beleza. É disso que eu gosto nesse site, é direto ao ponto, você pesquisa e já encontra o que procura de cara, informação de sobra aqui!!!

  3. Evy Abrahão disse:

    OLá. Fiquei muito interessado pelo seu post.Vou acompanhar ! Seu blog é TOP. Este tipo de conteúdo tem me agregado muito conhecimento.Grato !

    1. admin disse:

      Evy, agradecemos! É muito gratificante seu feedback 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não quer perder nada?
Então faça o seu cadastro!

Prometemos não enviar spam!