Confira os principais erros que travam o crescimento da sua empresa

Confira os principais erros que travam o crescimento da sua empresa

Um dos principais objetivos de todo empreendedor é conduzir bem os negócios e ver o crescimento da sua empresa de forma sustentável no mercado. Para que isso se torne possível, no entanto, é necessário contar com um bom planejamento e ter o cuidado de eliminar falhas que podem acarretar sérios problemas, inclusive a falência.

No artigo de hoje, listamos os 7 principais erros que prejudicam o crescimento da empresa e impedem que os resultados sejam alavancados. Continue a leitura e descubra quais são eles e os impactos que provocam:

1. Não ter um plano de negócios bem definido

O plano de negócios é um documento elaborado com o objetivo de organizar a gestão de uma companhia — tanto aquela que ainda está no início das atividades quanto a que já se consolidou. A ideia é relacionar os objetivos (em curto, médio e longo prazo) e definir quais estratégias serão adotadas para alcançá-los.

Pode-se dizer que é por meio desse registro que um gestor tem suas decisões orientadas e sabe, com precisão, qual caminho precisa ser percorrido para chegar até onde se espera. Por outro lado, deixar de elaborá-lo pode gerar atrasos ou mesmo impedir que metas sejam alcançadas, já que as ações adotadas passam a não ter um embasamento sólido e preciso.

Deixar de atualizar o plano periodicamente ou sempre que há mudanças nas premissas iniciais também é uma grande falha que pode prejudicar o crescimento da empresa.

2. Não pensar na organização financeira e contábil

O sucesso e a perenidade de qualquer empreendimento no mercado, independentemente do porte, estão ligados à organização financeira e contábil. Sendo assim, é preciso estruturar um bom planejamento e acompanhar bem de perto os resultados das operações.

Isso envolve o monitoramento do fluxo de caixa e o controle de estoque, capital de giro e notas fiscais de entrada e saída, entre outros aspectos que estão relacionados à movimentação do dinheiro. Vale lembrar que a desorganização, além de gerar prejuízos, pode acarretar problemas com o Fisco — como recolhimento inadequado de impostos e tributos.

3. Focar apenas no aumento dos lucros (sem reduzir custos)

Aumentar os lucros é, sem dúvidas, um item que está entre os primeiros da lista de objetivos de um empreendedor. Entretanto, buscar essa melhoria sem cortar gastos é um grande erro, principalmente porque, na maioria dos casos, ela impactará no preço oferecido ao cliente.

Por definição, o lucro é obtido como resultado da diferença entre a receita total e os gastos empresariais. Sendo assim, o melhor caminho para melhorar a lucratividade é diminuir os dispêndios. Mas é preciso ter o cuidado de fazer os cortes certos, evitando prejudicar a qualidade dos produtos e serviços ou comprometer a satisfação dos consumidores.

4. Deixar os clientes em segundo plano

É muito comum encontrarmos casos de negócios que oferecem um atendimento modelo no início de suas atividades, mas, com o tempo, ficam estagnados e já não empenham os mesmos esforços para superar as expectativas dos clientes. Não dar a devida atenção às necessidades do público e não buscar soluções para atendê-las são ações capazes de barrar o crescimento da empresa.

Portanto, é preciso estar em contato com os consumidores frequentemente, obter feedbacks, acompanhar as mudanças de mercado, adotar tendências e investir em inovação. Assim, ao manter a proximidade, torna-se possível construir e melhorar o relacionamento, aumentando as chances de fidelização.

5. Não investir em tecnologia

Estamos vivendo em uma época na qual a tecnologia se faz cada vez mais presente e necessária na rotina (tanto pessoal quanto profissional). Se antes o investimento em sistemas de gestão era privilégio de grandes corporações, hoje é possível encontrar soluções que atendem até mesmo pequenos empresários.

Executar os processos manualmente os deixa mais propensos a erros, além de fazer com que gastem mais tempo do que o ideal para finalizá-los. Ao adotar um software, a companhia ganha em produtividade, confiabilidade e segurança das informações, além de centralizar os dados e gerar relatórios que ajudarão na análise dos resultados e na tomada de decisão.

6. Precificar os produtos sem planejamento

A precificação de produtos e serviços também é um ponto crítico para as organizações. Além de ser crucial para cobrir custos e gerar lucro, ela é necessária para alcançar um equilíbrio, a fim de atrair os clientes e fechar mais vendas. Isso quer dizer que a tarefa requer planejamento e muito cuidado.

Para definir os preços, é necessário, em primeiro lugar, ter ciência de todos os custos gerados nas operações. Estabeleça também uma margem de lucro satisfatória e ideal para o seu ramo de atuação.

Usar o concorrente como referência pode ser uma excelente estratégia para determinar o valor final, mas serve somente como comparação — visto que definir o seu preço com base em competidores e sem avaliar as necessidades internas pode gerar prejuízos, prejudicando os lucros e até mesmo o pagamento de compromissos.

7. Não acompanhar análises sobre os resultados

Os indicadores de desempenho são ferramentas de gestão que permitem aos gestores acompanhar os resultados de processos relevantes para o negócio e tomar decisões mais acertadas. Deixar de realizar essas análises impede que falhas sejam identificadas e que se chegue às mudanças necessárias para alcançar os objetivos estabelecidos.

Entre os principais acompanhamentos que devem ser feitos em uma empresa, estão:

  • indicadores financeiros: faturamento, custos, lucratividade, rentabilidade, recebimentos, endividamento e ponto de equilíbrio;
  • indicadores comerciais: ticket médio de vendas, Custo de Aquisição de Clientes (CAC), taxa de conversão;
  • indicadores logísticos: custo do estoque, índice de atendimento de pedidos, percentual de perdas no estoque, percentual de trocas e devoluções;
  • indicadores de qualidade: quantidade de avarias e extravios, índice de reclamações, índice de devoluções.

Como podemos ver, investir no crescimento da empresa é uma estratégia que envolve planejamento, mudanças na gestão, alguns investimentos e muito controle sobre as atividades e seus resultados. Algumas melhorias já podem ser observadas em curto prazo, ainda que o sucesso demore um pouco mais para chegar.

Gostou do artigo de hoje e quer continuar acompanhando as novidades que compartilhamos? Siga nossos perfis nas redes sociais e não perca nenhum conteúdo! Estamos no FacebookYouTubeTwitterFlickr.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não quer perder nada?
Então faça o seu cadastro!

Prometemos não enviar spam!