Confira 6 passos para uma gestão empresarial eficiente

Não é novidade que o mercado tem mudado exponencialmente: todos os dias, novas tecnologias, tendências e concorrentes surgem com uma proposta de inovação diferente.

Para construir um negócio lucrativo e competitivo nesse contexto, é indispensável saber como realizar uma gestão empresarial eficiente. O gestor deve saber conduzir os diversos recursos que compõem a empresa, tais como pessoal, financeiro e materiais, além de aplicar ferramentas que potencializem os resultados desejados, como softwares específicos e programas de melhoria contínua.

No post de hoje, mostraremos 6 passos para uma gestão empresarial eficiente. Continue a leitura e tire suas dúvidas!

1. Otimize a gestão financeira do empreendimento

Ter um negócio saudável é um grande diferencial competitivo, mas, para isso, é preciso saber planejar, analisar e controlar os resultados financeiros. Assim, é possível obter mais lucros, manter as contas em dia e ter capacidade de investimento.

Ainda são muitos os erros relacionados ao assunto, como:

  • falta de integração entre a área de vendas e a financeira;
  • cálculo inadequado dos preços dos produtos/serviços;
  • pouco controle do fluxo de caixa da empresa;
  • falta de demonstrativo dos resultados mensais.

Esses erros costumam custar muito caro para a empresa, colocando-a em um breve caminho para o insucesso. Além disso, prendem as pessoas em um trabalho cansativo – pela simples falta de planejamento e controle. Veja algumas dicas para melhorar:

  • tenha um controle exímio do fluxo de caixa (entradas e saídas);
  • estabeleça projeções financeiras para cada período;
  • analise mensalmente os resultados obtidos;
  • nunca envolva as finanças pessoais e empresariais;
  • classifique suas despesas em fixas e variáveis;
  • evite gastos elevados com a folha de pagamento;
  • utilize um software que facilite o controle financeiro.

2. Aprimore os processos existentes

Na empresa, tudo é feito por meio dos processos. Para ficar mais claro, é considerado um processo toda sequência contínua de atividades. Assim, o simples pagamento de um boleto, a análise de crédito ou a entrega de um produto são considerados processos.

Quando bem definidos, contribuem para que as atividades diárias sejam realizadas com mais rapidez, eficiência e eficácia. Do contrário, potencializam o número de erros, conflitos internos e desperdício de materiais. Veja como aprimorar os processos:

  • estabeleça um fluxograma dos processos-chave;
  • identifique e elimine os principais gargalos (problemas) existentes;
  • mantenha a equipe alinhada aos processos;
  • verifique regularmente se estão sendo respeitados.

É necessário que todos os funcionários entendam a importância dos processos e estejam dispostos a respeitá-lo, caso contrário todo o esforço terá sido em vão. Então não deixe de informar a equipe, estabelecer metas de melhoria e cobrar pelos resultados.

3. Alinhe as metas e os objetivos da organização

Os objetivos e as metas de um estabelecimento são coisas completamente diferentes, apesar de muitas vezes confundidas. Os objetivos são mais amplos, em geral de médio e longo prazo. Já as metas são mais específicas, favorecendo conquistas no curto prazo.

Para ficar ainda mais claro, imagine o objetivo como o resultado que a empresa realmente quer alcançar e as metas como o passo a passo para chegar até ele. Por isso, além de ter um alinhamento correto, é importante traçar metas inteligentes.

Um dos padrões mais utilizados para isso é o SMART, no qual uma meta deve ser:

  • specific (específica) — clara o suficiente para que todos compreendam;
  • measurable (mensurável) — representada por números que facilitem sua análise;
  • attainable (alcançável) — para manter os profissionais engajados;
  • relevant (relevante) — para que a empresa alcance seus objetivos;
  • time-based (temporal) — com prazo bem definido para seu alcance.

Ao estabelecer os objetivos e as metas, é possível manter todos da empresa mais focados nos resultados que são realmente desejados. Assim, as conquistas serão mais constantes e contribuirão para a construção de um negócio bem-sucedido.

4. Invista no gerenciamento contínuo da qualidade

A melhoria contínua não é uma opção, é uma obrigação. Por isso, é importante investir na gestão da qualidade. Basicamente, ela representa o esforço sistemático para gerar qualidade nos produtos e serviços da empresa, bem como nas pessoas que nela atuam.

Para isso, são importantes algumas ações:

  • mantenha o foco na satisfação dos clientes finais;
  • invista em uma comunicação eficiente com seu time;
  • implemente sistemas de qualidade (ISO 9001, 9002 e 9003);
  • mantenha os funcionários sempre capacitados.

Uma importante ferramenta para a gestão da qualidade é o ciclo PDCA. Seu foco é a solução de problemas que existem dentro da empresa, aplicando 4 principais etapas para isso. São elas:

  1. plan (planejar) — planeje o que será feito para solucionar o problema;
  2. do (executar) — realize o que foi inicialmente planejado;
  3. check (avaliar) — avalie se o objetivo inicial foi alcançado;
  4. act (agir) — com base nos resultados obtidos, aja corretivamente.

5. Invista no desenvolvimento humano

Os colaboradores assumem um importante papel para o crescimento e a continuidade do negócio. São eles que dão vida aos processos diários, atendem aos clientes finais e contribuem para que as metas estabelecidas sejam alcançadas.

Por isso, é preciso saber como desenvolvê-los e motivá-los, garantindo que realizem suas tarefas de forma cada vez mais eficiente. Veja algumas dicas para isso:

  • invista em programas de capacitação;
  • ofereça feedbacks de melhoria;
  • forneça recompensas pelos resultados;
  • adote um modelo de liderança pelo exemplo;
  • invista no bem-estar no trabalho.

Ao desenvolver os profissionais, diversos benefícios poderão ser vistos em todos os níveis e as áreas do estabelecimento. Lembre-se sempre de que pessoas satisfeitas trabalham com mais energia, interesse e compromisso com os resultados.

6. Monitore sempre os indicadores de desempenho

Para finalizar, é importante acompanhar os resultados alcançados. Isso pode ser feito com a ajuda de alguns indicadores-chave de desempenho (ou KPIs, como também são conhecidos). Para ficar claro, eles funcionam como um termômetro, indicando o grau de resultados que determinada atividade ou setor tem gerado para a empresa.

Conheça agora alguns dos indicadores mais utilizados:

  • índice de satisfação e lealdade dos clientes;
  • taxa de efetividade das vendas;
  • custo de aquisição de clientes;
  • valor médio das vendas;
  • nível de crescimento anual do negócio;
  • taxa de rotatividade e absenteísmo dos funcionários;
  • retorno obtido nos investimentos (ROI);
  • nível de lucratividade do negócio.

Estabeleça os indicadores que mais se adéquam ao seu estabelecimento e acompanhe-os de forma periódica. Ao fazer isso, é possível exercer um controle muito mais eficiente sobre o que está acontecendo na empresa, bem como tomar decisões rápidas e assertivas.

Ao aplicar essas dicas conseguirá gerenciar seu negócio de modo eficiente. Então comece agora mesmo a conduzir seus diversos recursos de forma estratégica, na busca por resultados cada vez maiores e mais satisfatórios.

Gostou do nosso conteúdo? Está pronto para implementar nossos passos para gestão empresarial? Aproveite para compartilhar conosco suas dúvidas ou experiências sobre o assunto, deixe seu comentário em nosso post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não quer perder nada?
Então faça o seu cadastro!

Prometemos não enviar spam!